Pular para o conteúdo principal

A HISTÓRIA TRADICIONAL DO REIKI


Mikao Usui viajou então para os E.U.A, onde viveu por sete anos. Não encontrando respostas entre os Cristãos, entrou para a Escola Teológica da Universidade de Chicago. Diz-se que ali recebeu o grau de Doutor em Teologia, depois de estudar Religiões Comparadas e Filosofia. Também aprendeu a ler sânscrito, a língua erudita da Índia e do Tibet. Ainda assim Usui não encontrou respostas para a busca desse método de cura. Não se faz mais referências a Usui como cristão ou pastor, mas somente como budista, que, depois de voltar ao Japão, residiu em um mosteiro Zen.
    É interessante notar que Willian Rand, Mestre em Reiki, não encontrou registros de Mikao na Universidade de Doshisha, como diretor, professor ou aluno. Além disso, não existem registros de sua presença na Universidade de Chicago, nem de ter recebido qualquer diploma. Seria fácil especular que os aspecto cristão da história foi introduzido no Ocidente, para os americanos aceitarem o poder do sistema de cura Reiki.
    Mikao Usui voltou ao Japão e fixou residência num mosteiro Zen-Budista; aí encontrou textos que revelaram a fórmula de cura que, agora, ele podia ler no original, em sânscrito. Entretanto, os textos não incluíam a informação de como ativar a energia e faze-la funcionar. Como tem sido afirmado, essa falta de informações nos Sutras era intencional, feita com freqüência para manter os poderosos ensinamentos longe do alcance de mãos não preparadas para conhece-los e usa-los corretamente. Hawaio Tanaka narra isso:

“Ele estudou a versão sânscrita e, mais tarde, depois de estudos profundos, encontrou a fórmula. Clara como o dia. Nada difícil, mas muito simples. Como dois e dois são quatro...E então disse: "Muito bem eu a encontrei. Agora, tenho que interpretar isso porque foi escrito há 2500 anos. Mas tenho de passar pelo teste."

    O teste foi um período de 3 semanas de meditação, de jejum e oração no monte Koriama, no Japão. Ele escolheu o local da meditação e reuniu 21 pedras pequenas à sua frente para marcar o tempo, jogando fora uma pedra ao  final de cada dia. Na última manhã dessa busca, um pouco antes de clarear o dia, Usui um projétil de luz vindo na sua direção. Sua primeira reação foi fugir do projétil; mas então ele pensou novamente. Decidiu aceitar o que estav vindo em resposta à sua meditação, mesmo que resultasse na sua morte. A luz atingiu seu terceiro olho e ele perdeu a consciência por certo tempo. Então, viu "milhões e milhões de bolhas de arco-íris" e, finalmente, os símbolos do Reiki como uma tela. Ao ver os símbolos, foi-lhe dada a informação sobre cada um deles para ativar a energia de cura. Essa foi a primeira iniciação Reiki, a redescoberta de um método antigo por meio de vidência.
    Mikao Usui deixou o monte Koriama sabendo curar como Buda e Jesus haviam curado. Descendo a montanha, aconteceu o que é tradicionalmente conhecido como os quatro milagres. Primeiro, ele feriu um dedo do pé enquanto andava; instintivamente, sentou-se e pôs as sobre ele. Suas mãos ficaram quentes e o dedo machucado foi curado. Segundo, ele chegou a uma casa que servia a peregrinos, ao pé da montanha. Pediu uma refeição completa, algo nada recomendável depois de jejuar durante 21 dias apenas com água, mas comeu normalmente. Terceiro, a mulher que o serviu sentia dor de dente e, colocando as mãos sobre a face dela, ele a curou. Quando voltou ao mosteiro, soube que o diretor estava acamado com um ataque de artrite, e ele também o curou.
    Usui deu à energia de cura o nome de Reiki, que quer dizer energia da força universal e, em seguida, levou o método às favelas de Kyoto. Morou ali por vários anos, ministrando sessões de cura no quarteirão dos dos mendigod da cidade. Na cultura e ética de seu tempo, pessoas com deformidades, aleijadas ou com doenças aparentes eram sustentadas pela comunidade, que as tratava como mendigos. Depois de curar essas pessoas, pediu-lhes para começar uma vida nova; no entanto, elas voltaram ao antigo modo de viver. Vendo pessoas que ele considerava curadas voltando a esmolar em vez de ganhar a vida honestamente, desanimou-se e deixou as favelas. As pessoas ficaram zangadas porque, tendo sido curadas das doenças, não podiam mais ganhar a vida como mendigos e teriam de trabalhar.
Nesse momento, Mikao passou a perceber a correlação entre a doença e os processos de aprendizagem, o valor da saúde, o propósito da responsabilidade, a gratidão e as  leis de troca e energia. Lembrou-se do que os velhos monges lhes falavam a cerca da necessidade de curar o espírito, sem o que não haveria cura real do corpo.
Objetivando alcançar a cura do espírito, Mikao adotou, então, os cinco princípios do Imperador Meiji, cuja prática levaria à transformação da alma, à harmonia do corpo físico, emocional, mental e espiritual. Estes passam a ser os cinco princípios que todo reikiano deve alcançar e seguir.
Mikao Usui deixou o trabalho com os pedintes e resolveu ensinar àqueles que desejassem saber mais. Ajudaria somente às pessoas que realmente lhe pedissem ajuda. Como também havia entendido a importância da troca de energia para que as pessoas reconhecessem e valorizassem o que recebiam, determinou que as pessoas deveriam retribuir de alguma forma (não necessariamente financeira) aquilo que recebessem.
Peregrinou por todo o Japão, dando palestras sobre o Reiki e curando pessoas, chegando a ser condecorado pelo Imperador por suas curas e ensinamentos praticados com ideais amorosos.
Abriu uma clínica em Harajuko, Aoyama, Tóquio, em abriu de 1922, onde além de tratar pessoas que acorriam de todos os lugares, ministrava seminários divulgando seu conhecimento.
Em setembro de 1923. Tóquio foi atingida pelo Terremoto Kanto. Milhares de pessoas ficaram doentes. Usui levou o Reiki para a cidade, onde tratou dos sobreviventes. O Reiki de espalhou e logo sua clínica ficou pequena, o que o levou a construir outra em Nakano.
Também fundou uma organização em Tóquio, a “Usui Shiki Reiki Ryoho Gakkai”, que existe ainda hoje e cuida da prática e ensinamento do Reiki. Usui só teve 04 anos para divulgar o Reiki. Faleceu em 09 de março 1926 de um ataque cardíaco, durante uma viagem a Fukuyama. Neste tempo iniciou 21 pessoa como Mestre, dentre elas algumas mulheres.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Práticas

O sexto chakra - Chakra Frontal – “Terceiro olho”

Nome: Ajna Meridianos: os do chakras umbilical – fígado, pulmão, vesícula biliar, intestino grosso. Glândula Endócrina: hipóse (pituitária) localizada na base do crânio. Hormônios: vários hormônios que regulam o crescimento e o mestabolismo, dentre eles a Vasopressina (anti-diurático), pituitária. Cor: Índigo Corpo Áurico: celestial Planeta: Urano Vitamina/mineral: Complexo B e magnésio Pedro Preciosa: água marinha Tom Musical: lá Símbolo: lótus de noventa e seis pétalas Raio: verde-cristal Sentido: todos e percepção extra-sensorial Mantra: Om (Compreensão) 
Localiza-se na região mediana da testa. Este é o chakra esotérico e orgânico, correspondente à glândula pituitária. É o responsável pelo redirecionamento das energias da força do desejo/atração pessoal (chakra do umbigo) para a oitava vibratória superior relacionada ao nível de liderança e administração carismáticas e responsáveis. Irradia as cores primária: amarelo, alternando com azul intenso, que em pessoas desenvolvidas em bordas viole…

ALGUMAS PESQUISAS COM TERAPIA REIKI

Servidores da área médica reconhecem que Reiki tem seu valor. Este é o motivo pelo qual o Reiki tem sido tem sido introduzido e utilizado em centenas de hospitais e clínicas em vários países. Médicos, enfermeiros e outros membros da área médica acreditam que Reiki é efetivo para reduzir os efeitos colaterais de radiações e drogas. Também acreditam que Reiki reduz e/ou elimina a necessidade de medicações para dor, reduz a ansiedade e stress, acelera o processo de cura diminuindo o tempo no hospital, ajuda a abrir o apetite e melhora o sono.
Por que os Hospitais Gostam de Reiki? Os hospitais estão passando por grandes mudanças. Eles experienciam a necessidade de reduzir seus custos e ao mesmo tempo aumentar os cuidados aos seus pacientes. Com o modelo antigo os hospitais baseado em altos custos com medicamentos e tecnologias, eles passaram a viver um problema. Isto não se aplica ao Reiki e a outras terapias complementares. Reiki não requer tecnologia e muitos de seus praticantes trabalha…